Remédios Caseiro / Naturais

Antidepressivos naturais mais usados; veja nomes e benefícios

Devido aos efeitos colaterais dos remédios de farmácia, muito se busca por antidepressivos naturais

(texto)

Optar por tomar remédios antidepressivos pode parecer uma decisão muito inquietante para quem faz tratamento contra a depressão. Mas são inúmeras as formas de tratar a doença sem o uso de pílulas. Fórmulas e medicamentos naturais, hábitos de vida saudável e até mesmo a alimentação podem ser grandes aliados nessa missão. Confira os benefícios e os métodos naturais mais usados.

Os efeitos colaterais mais comuns do uso dos medicamentos controlados, como dependência e mudanças físicas fazem muitas pessoas procurarem alternativas naturais no combate a depressão.

O uso da medicina alternativa na prevenção e tratamento da doença aumenta ao mesmo passo que sobe o número de depressivos no mundo. Segundo a OMS, existem cerca de 322 milhões de pessoas depressivas no planeta.

No Brasil, o índice é ainda mais alarmante. 5,8% população brasileira sofre com o transtorno, cerca de 11,5 milhões de habitantes. Esse número faz do país o primeiro lugar no ranking de população depressiva na América Latina.

Devido aos efeitos colaterais dos remédios de farmácia, muito se busca por antidepressivos naturais

Existem cerca de 322 milhões de pessoas depressivas no planeta (Foto: depositphotos)

É importante frisar, contudo, que existem níveis e causas diferentes de depressão. A Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) diz não haver provas concretas sobre a eficácia dos métodos naturais e recomenda o acompanhamento de um especialista durante qualquer tipo de tratamento contra o transtorno.

Tratamentos naturais para depressão

Fitoterapia

Os antidepressivos fitoterápicos também são eficientes no tratamento da ansiedade

A fitoterapia se baseia em usar plantas, ervas e fórmulas naturais no tratamento (Foto: depositphotos)

A fitoterapia ocupa um local de destaque quando o assunto é método alternativo contra a depressão e muitas outras doenças. O processo se baseia em usar plantas, ervas e fórmulas naturais no tratamento e prevenção de males do corpo e mente.

O método fitoterápico é capaz de regular e sincronizar os níveis de neurotransmissores no corpo. Esses níveis ficam desregulados durante crises depressivas.

Veja também: Os melhores extratos naturais para depressão, pânico, ansiedade e estresse

Os antidepressivos fitoterápicos também são tidos como um dos favoritos para complementar o tratamento psicoterapêutico e na prevenção de transtornos e distúrbios psicológicos, como ansiedade, por exemplo.

Homeopáticos

A eficácia dos homeopáticos é mais evidente em casos leves e moderados de depressão

Os homeopáticos buscam neutralizar os compostos que causam a depressão (Foto: depositphotos)

A homeopatia nasce da proposta do “princípio da semelhança”. Os antidepressivos homeopáticos buscam reconhecer e selecionar um composto que cause os sintomas parecidos com o da depressão e, em seguida, produzir uma fórmula que os neutralize.

Apesar de ser uma alternativa que cresce e se torna cada vez mais disseminada no Brasil, a homeopatia não é recomendada para tratamento de casos graves de depressão. Sua eficácia é mais evidente em casos leves e moderados.

Erva de São João

A erva de São João é muito conhecida por seu efeito antidepressivo

Além de tratar casos de depressão, ela também atua contra insônia e nervosismo (Foto: depositphotos)

A erva de São João (Hypericum perforatum), ou hipericão, é provavelmente a planta mais conhecida pelo seu efeito antidepressivo. Ela é indicada para casos de depressão leve, e também pode tratar distúrbios como nervosismo e insônia.

Seu uso precisa ser feito com muito cuidado e, de preferência, sob o acompanhamento de um especialista. Seu uso pode causar efeitos colaterais quando em excesso.

Exercícios

As atividades físicas também melhoram as noites de sono

Praticar exercícios estimula a produção de endorfina, o hormônio do bem-estar (Foto: depositphotos)

A prática de atividades físicas é, com certeza, a maneira mais conhecida de amenizar os sintomas da depressão. Os exercícios auxiliam na produção e secreção de endorfina, neuro-hormônio responsável pela sensação de bem-estar.

Além do benefício hormonal, se exercitar também ajuda a ter melhores noites de sono. Dormir mal, segundo especialistas, é um grande agravante de episódios depressivos.

Além dessas vantagens, a prática de exercícios em academias e grupos ajudam na interação social e na definição de objetivos. Estar cercado por pessoas buscando mais saúde e qualidade de vida pode ocasionar a melhora no humor.

Veja também: Você sabia? Depressão pode aumentar riscos de doenças cardiovasculares

Meditação

A meditação inibe o cortisol, que causa estresse e indisposição

Esse hábito aumenta a liberação de endorfina no corpo (Foto: depositphotos)

Assim como os exercícios, a meditação também aumenta a liberação de endorfina no corpo. Outra vantagem antidepressiva da prática é que ela controla a produção de cortisol, que provoca ansiedade, indisposição, fraqueza e a sensação “pressão”.

Acupuntura

Essa técnica atua como antidepressivo natural porque estimula o relaxamento

A acupuntura favorece o alívio e relaxamento (Foto: depositphotos)

O estímulo de pontos específicos do corpo através das agulhas de acupuntura, além de promoverem benefícios físicos, ajudam na saúde mental.

Esse método assume que a depressão, assim como outros distúrbios como ansiedade e desânimo, é causada pelo desequilíbrio do fluxo energético entre os órgãos.

A resposta do sistema nervoso ao tratamento com agulhas pode trazer resultados benéficos ao estado psicológico em geral. Além de ser uma prática conhecida por causar alívio e relaxamento.

Alimentação

Alguns alimentos previnem e amenizam quadros depressivos

Amêndoas, nozes e castanhas são exemplos de alimentos ricos em triptofano (Foto: depositphotos)

Alimentos ricos em triptofano, um aminoácido que previne e ameniza quadros depressivos, são muito recomendados por nutricionistas para amenizar sintomas da depressão. Os mais populares são:

  • Peixes;
  • Amêndoas;
  • Banana;
  • Nozes;
  • Semente de girassol;
  • Castanha de caju;
  • Lentilha;
  • Chocolate amargo;
  • Maracujá;
  • Folhas e legumes verdes.

Veja também: Alimentação para depressão; confira 6 ingredientes maléficos

Pimenta

A pimenta contém um composto que estimula a produção do hormônio do bem-estar

Pimentas melhoram o humor (Foto: depositphotos)

Pimentas também são uma boa escolha para melhorar o humor. Elas são ricas em capsaicina, um composto químico capaz de aumentar os níveis de endorfina, proporcionando bem-estar.

(texto)
Fonte/Autor do Conteúdo Postado

Comente com seu Facebook

Deixe um Comentário