Gerais sobre Natureza/Ambiente

Falta de combustível sinaliza dependência e necessidade de oferecer alternativas ao petróleo

(texto)

São Paulo, 05 de junho de 2018 – Recentemente presenciamos uma situação extrema no Brasil: a falta de combustível, que afetou o abastecimento de produtos de consumo, o deslocamento da população para o trabalho e provocou uma série de mudanças na rotina das pessoas e dos negócios no país. A mesma falta de combustível também, como consequência, causou a redução dos índices de poluição nas grandes metrópoles e reduziu drasticamente o congestionamento nessas mesmas cidades.

 

Ninguém acha que uma situação dessas é vantajosa, por ter reduzido a concentração de poluentes ou o trânsito. Porém, diante disso, confirmamos a nossa dependência no uso de combustíveis fósseis para os diversos setores produtivos da sociedade, incluindo o transporte de carga, a geração de energia elétrica, a produção de alimentos, dentre outros.

 

No dia mundial do meio ambiente, o Instituto Ethos, que há 20 anos trabalha para incentivar práticas sustentáveis e responsáveis nas empresas, em busca de uma sociedade mais justa e sustentável, traz essa reflexão e apresenta iniciativas nas agendas de mudanças climáticas e suas relações com a mobilidade urbana.

 

Para o Ethos, as mudanças climáticas impactam diretamente as populações e o próprio desenvolvimento do setor empresarial. O aquecimento global, por exemplo, muda a dinâmica dos mares, da extração de matérias primas e a relação das populações com a natureza. O Instituto Ethos trabalha para que as ações de adaptação aos novos cenários que a mudança do clima traz sejam colocadas em prática, incluindo temáticas como a precificação de carbono.

 

Além disso, a mobilidade urbana pode ser um agravante nas temáticas de mudança climática em especial pelos poluentes emitidos. Este cenário pode causar danos diversos como: interrupções ou redução do desempenho nos modos de deslocamento, interferir – direta ou indiretamente – no padrão de comportamento da população e na distribuição de insumos e serviços em uma cidade, além de aumentar a probabilidade de acidentes.

 

Dessa forma, a organização vem influenciando empresas, governos e sociedade civil, a olhar para o tema de forma prioritária e estratégica por meio de ferramentas como os Indicadores Ethos e o Grupo de Trabalho Fórum Clima, além de parcerias com entidades como o WWF-Brasil, a Iniciativa Empresarial em Clima (IEC) e o Instituto Friedrich Naumann.

 

Sobre o Ethos

O Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, que completa 20 anos neste ano de 2018, tem a missão de mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de forma socialmente responsável, tornando-as parceiras na construção de uma sociedade justa e sustentável.

A organização trabalha com questões relacionadas à ética desde sua fundação, em 1998. O Pacto Empresarial pela Integridade e Contra a Corrupção, criado em 2006, vem estimulando o setor empresarial a incorporar práticas de integridade em seus planos de negócio. A temática dos direitos humanos e da igualdade de gênero e raça também são abordadas no Grupo de Trabalho de Empresas e Direitos Humanos. Além disso, em 2009, o instituto fundou o Fórum Clima, que engaja empresas na busca por soluções para a alteração do clima e me 2016 o instituto criou o ForumMobi cujo principal objetivo de estimular o diálogo entre os diferentes setores da sociedade para buscar soluções para implementação de mobilidade urbana mais sustentável.

Informações à imprensa:

Ketchum

Vanessa Nardo – 11 5090-8912 – [email protected]

Christiano Bianco – 11 5090-8902 – [email protected]

(texto)
Fonte/Autor do Conteúdo Postado

Comente com seu Facebook

Deixe um Comentário