Sustentabilidade

ODS 3: Metade da população mundial não tem acesso a saúde básica, aponta relatório da ONU

ODS 3: Metade da população mundial não tem acesso a saúde básica, aponta relatório da ONU

(texto)

Estudo foi discutido durante o fórum global sobre cobertura universal de saúde de 2017, no Japão. Reunião procura avançar na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável

Um estudo apoiado pela ONU (Organização das Nações Unidas) aponta que pelo menos metade da população mundial não tem acesso a serviços básicos de saúde.

O relatório, realizado pelo Banco Mundial e pela Organização Mundial de Saúde (OMS), também mostra que cerca de 100 milhões de pessoas entram em situação de extrema pobreza todos os anos devido a gastos com saúde que não são ofertados por órgãos públicos.

O dado mostra, segundo a ONU, que uma cobertura universal de saúde é fundamental para combater a pobreza.

O estudo foi amplamente discutido no fórum global sobre cobertura universal de saúde de 2017 (UHC2030), em Tóquio, no Japão.

Segundo o relatório, os piores índices foram encontrados na África Subsaariana e no sul da Ásia. No entanto, um número cada vez maior de pessoas que comprometem mais de 10% de sua renda pagando despesas de saúde do próprio bolso foi reportado em outras regiões do mundo, como a América Latina e a Europa. O número chegaria a 800 milhões de pessoas, de acordo com o estudo.

Na América Latina e no Caribe, 30% da população não têm acesso a cuidados de saúde por razões econômicas, e 21% não buscam atendimento devido a barreiras geográficas, segundo outro relatório divulgado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS)

A ONU classifica a situação retratada pelo relatórios como inaceitável e cobra uma cobertura de saúde universal e gratuita no mundo.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

O fórum global sobre cobertura universal de saúde é considerado um passo importante para avançar nas metas para a área previstas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), firmados pela Agenda 2030.

O documento, assinado em 2015 por líderes dos 193 Estados-membros das Nações Unidas, firmou uma agenda de desenvolvimento que deve ser implantada por todos os países do mundo até 2030.

São 17 Objetivos Globais de desenvolvimento. A cobertura universal de saúde atende ao ODS 3, “assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades”, com foco especial em saúde infantil e materna. Como a falta de acesso à saúde essencial agrava o quadro de pobreza pelo mundo, a medida também está relacionada com o ODS 1, que prevê “acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares”.

ODS 3

Dentre as medidas previstas pelo ODS 3 até 2030 estão reduzir a taxa de mortalidade materna, de recém-nascidos e de crianças menores de 5 anos, acabar com epidemias, reduzir a mortalidade prematura por doenças não transmissíveis, aumentar o financiamento da saúde nos países em desenvolvimento e menos desenvolvidos e atingir a cobertura universal de saúde – “incluindo a proteção do risco financeiro, o acesso a serviços de saúde essenciais de qualidade e o acesso a medicamentos e vacinas essenciais seguros, eficazes, de qualidade e a preços acessíveis para todos”.

 

(texto)
Fonte/Autor do Conteúdo Postado

Comente com seu Facebook

Deixe um Comentário