Gerais sobre Natureza/Ambiente

Rio vai receber a Velo-City 2018, maior conferência de mobilidade urbana por bicicleta do mundo

(texto)

No mês de junho o Rio de Janeiro vai se tornar a capital da bicicleta. A cidade irá sediar a Velo-City 2018, maior evento sobre mobilidade urbana por bicicleta do mundo. Ao longo de quatro dias, de 12 a 15 de junho, o evento reúne cerca de 2 mil participantes, unidos pela temática da mobilidade urbana. O enredo da conferência é resumido nos seguintes pontos: Aprenda a viver para alcançar Felicidade e Qualidade de Vida, pois precisamos Integrar a Vida e o Transporte gerando uma Economia Viva. A cidade do futuro é uma cidade com Acesso à Vida.

A conferência Velo-City apresenta conexões com educação, transporte, turismo, lazer, cultura, inovação, sustentabilidade e políticas públicas. São debates, plenárias e palestras que reúnem os maiores nomes da mobilidade por bicicletas mundial. E para completar o conteúdo do evento, 165 trabalhos acadêmicos, de empresas, prefeituras e organizações da sociedade civil selecionados de vários países serão apresentados.

A Velo-City é uma realização da Federação Europeia de Ciclistas (ECF – European Cyclists’ Federation) em parceria com a Prefeitura do Rio, através da Riotur. “Depois de realizar a Velo-City na Europa, América do Norte, Austrália e Ásia, o Conselho da ECF tomou uma decisão unânime de promover uma edição sul-americana da Velo-City: e o Rio foi a escolha mais evidente”, afirma o presidente da ECF, Manfred Neun.

“Nesses dias que abrigará a Velo-City, o Rio de Janeiro se transforma na capital mundial da bicicleta, um meio de transporte saudável, não poluente e sustentável, excelente alternativa para nossa cidade. Ano passado, estive na Holanda, última edição do evento, e recebi as chaves para ser anfitrião da edição de 2018 e puder sentir de perto o amor dos holandeses pela bicicleta”, conta o prefeito do Rio, Marcelo Crivella.

Escolhida em 2015 para sediar o evento deste ano, a cidade do Rio de Janeiro faz jus à seleção, especialmente pela conexão orgânica deste importante meio de transporte com a cultura da cidade.

“A bicicleta é a cara do Rio e queremos apresentar ao mundo nosso potencial para o cicloturismo e como esse meio de transporte está incorporado ao nosso cenário.”, explica Marcelo Alves, presidente da Riotur.

Plenárias em destaque

O programa abrangente da Velo-City vai além da abordagem acadêmica ou política, trazendo o viés social da mobilidade urbana aplicado à vida prática. Ao todo, são oito sessões plenárias, sendo duas por dia, ocupando local de destaque. Acontecem ainda sessões paralelas, sendo oito delas dedicadas à pesquisa científica sobre a bicicleta como meio de transporte, formando o Scientists for Cycling, um compilado de trabalhos selecionados pela ECF em parceria com a UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro, apresentados por estudiosos de todo o mundo. A equipe do programa que recebeu os mais de 300 trabalhos enviados e os avaliou junto a ECF, para seleção dos 165 palestrantes de34 países é da organização carioca Transporte Ativo.

Como uma grande teia, os temas se unem e se complementam. Na sessão plenária “Cidade pra crianças, cidade pra todos”, a ativista Livia Suarez apresenta o projeto La Frida, que estimula a representatividade feminina na mobilidade urbana impulsionando a vida de mulheres negras nas periferias de Salvador; enquanto o presidente da associação Equaticity, o americano Olatunji Reede, fala sobre o tema racial nos subúrbios negros de Chicago e o uso da bicicleta como ferramenta de inclusão social; já a ex-Secretária-geral da UNICEF, a italiana Eliana Riggio, aborda o desenvolvimento de políticas públicas para a construção de cidades seguras, saudáveis e justas para as crianças.

Outro tema discutido nas plenárias são “Os desafios das Megacities”, que aborda os obstáculos e oportunidades para o desenvolvimento de um sistema de mobilidade sustentável nas megacidades. Nesta pauta, as Subsecretárias de Mobilidade da Cidade do México, Laura Ballesteros, e de Buenos Aires, Paula Bisiau; o Secretário Municipal de Transporte de São Paulo, Sérgio Avelleda; e a pesquisadora de Nova Deli, Anvita Arora, comporão a mesa.

Já a plenária “O poder e benefício econômico do cicloturismo” aborda o um turismo mais sustentável com maior benefício econômico para cidades e regiões, unindo o Diretor de Advocacia e Eurovelo da Federação Europeia de Ciclistas, Adam Bodor; e os Presidentes da Comissão Europeia de Turismo, Peter de Wilde, e da Riotur, Marcelo Alves. A última plenária é sobre “Governança”, formando um encontro de políticos de diferentes países sobre o desenvolvimento de sistemas de transporte e mobilidade inclusivos, eficientes e saudáveis. A ex-Prefeita de Santiago do Chile, Carolina Toha; a subprefeita de Sustentabilidade de Copenhagen, Ninna Hedeager; e o Prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, farão parte da discussão.

“Políticas Globais” ganha destaque na plenária que conta com a presença das principais entidades mundiais que tratam sobre o tema: o Banco Mundial e a ONU, representadas por suas agências OMS (Organização Mundial da Saúde) e UN Habitat, e SUM4ALL (Mobilidade Sustentável para Todos). O enredo dessa plenária é focado na importância da bicicleta para alcançar melhores políticas de desenvolvimento urbano sustentável.

Sobre o formato da conferência

O evento visa incentivar a interação entre os palestrantes e o público, através dos seguintes formatos:

– Palestra

Três ou quatro palestrantes apresentarão seus trabalhos ao público, com a possibilidade de perguntas/discussões ao final da fala de cada um ou quando a sessão cessar.

– Oficina

Focado em um projeto ou atividade desenvolvido por 1 ou 2 pessoas, que será detalhadamente apresentado aos participantes, que por sua vez poderão questionar, aprender e compartilhar informações com o especialista.

– Encontros rápidos

Discussões individuais entre palestrantes e participantes que acontecerão na área de conferência, possibilitando um alto nível de interação entre eles.

– Pechakucha 

As apresentações cronometradas, com limite de 20 slides de 30 segundos cada, requerem oradores bem preparados e pontuais para manter o bom andamento do evento.

– Mesa redonda 

Discussões aprofundadas sobre um tema geral, tendo um orador-líder em cada mesa. Os participantes podem se alternar entre mesas diferentes, após um período de tempo determinado.

– Plenária e Painel de discussão  

Discussões moderadas por um especialista da área, oferecendo ao público a oportunidade de interagir com os oradores através de perguntas enviadas previamente.

Mais atividades

– Feira de Expositores – Integrada à conferência, a Feira de Expositores reúne diversos estandes ocupados por empresas privadas, órgãos públicos e associações ligadas ao universo da bicicleta, apresentando produtos, iniciativas e serviços inovadores ao público da Velo-City. É a primeira vez que a feira e a conferência dividem o mesmo espaço, facilitando a circulação dos participantes e incorporando as atividades.

– Workshop – Paralelamente ao evento, no dia 14, o prefeito Marcelo Crivella recebe representantes de órgãos públicos e organizações mundiais, tais como a UNICEF, OMS e ONU-Habitat, em um workshop no Museu do Amanhã para debater temas como governança e políticas públicas sobre o transporte cicloviário.

– Bike Parade – A Conferência reúne no dia 13 de junho todos os participantes em uma Bike Parade pela cidade, partindo da zona portuária em direção ao Aterro do Flamengo (6 km) com a participação aberta também para o publico.

Sobre a Velo-City

A Velo-City começou em 1980, em Bremen, na Alemanha e inspirou a criação da Federação Europeia de Ciclistas (ECF), em 1983, atual organizadora do evento. Anualmente, a Velo-City acontece em cidades que investem em ciclovias e na cultura do ciclismo como transporte e meio de vida. As cidades-sede das duas próximas edições do evento serão Dublin (2019) e Cidade do México (2020).

(texto)
Fonte/Autor do Conteúdo Postado

Comente com seu Facebook

Deixe um Comentário